domingo, 26 de abril de 2009

Dúvidas de um leitor

Um leitor colocou-me as seguintes questões:

"Boas noites. Há alguns meses que ando a ler acerca da cannabis e do cânhamo. Contudo, surgem-me várias dúvidas acerca dos mesmos:

- É rentável fazer uma plantação de cânhamo industrial em Portugal? Não vejo produtos à venda, nem nunca ouvi falar sequer em números. Li há uns dias que em 1998 eram 23/25 cultivadores, que no entanto foram diminuindo.

- Apesar de ser legal, há grandes problemas com a legislação portuguesa? O que eu quero dizer é se posso estar seguro ao plantar, se não estaria envolvido em muita burocracia.

De salientar que não tenho qualquer experiência em agricultura, mas que no entanto já me "cultivei" bastante estes últimos meses, o suficiente para poder ver que é uma grande oportunidade que aqui temos, tanto a nivel económico como ambiental."


Ao que lhe respondi:

Respondendo directamente às tuas questões: Neste momento plantar cânhamo em Portugal não é particularmente rentável porque não existe uma estrutura agrícola e industrial para o Cânhamo no nosso país.

As plantações de cânhamo industrial são por natureza monoculturas e para serem verdadeiramente rentáveis são necessários vários hectares cultivados. Existem várias máquinas especialmente concebidas para o cânhamo, nomeadamente plantadores, equipamentos de colheita e essencialmente equipamentos transformadores que processam as varas de cânhamo na fibra têxtil propriamente dita. O cânhamo é uma cultura subsidiada pela UE, estando os apoios na ordem dos 200 euros por tonelada.

O problema do cânhamo Português é que não existe uma indústria transformadora em Portugal, pelo que o produto tem de ser exportado para outros países.

Em relação a problemas com a lei, eles não existem. O problema está, isso sim, na extrema dificuldade de acesso a sementes certificadas, sem as quais não podes cultivar. Quando compras estas sementes recebes um papel omolgado pela UE a permitir o cultivo, que podes e deves mostrar às autoridades que actuam perto do local. (em anexo tens um exemplo)

Tenho tentado contactar inúmeros institutos e empresas Europeus na tentativa de adquirir sementes certificadas e não consigo obter respostas. Neste momento o único caso que conheço é o da Hempflax que vende cerca de 5000 sementes a 50 Euros o que me parece ser excessivamente caro.

O papel do cânhamo em Portugal passa essencialmente pelos usos que um pequeno agricultor pode dar à planta, nomeadamente num contexto de Agricultura Biológica. Por ser regeneradora do solo é uma excelente cultura para substituir a época de pousio e para fazer Adubação Verde, afastar pragas e funcionar como barreira entre campos de cultivo. Para além disto produz sementes fantásticas para consumo humano e das folhas pode-se fazer chá. Como vês qualquer pequeno agricultor devia semear cânhamo para fins não industriais.


Afonso David

3 comentários:

ppcblog200 disse...

olá
desde ja os parabens por ter coragem de enfrentar uma tematica tao sensivel

gostaria de saber se tem a certeza absoluta sobre os dados que esta a inserir no blog, no que diz respeito a legalidade de cultivar canhamo(com valores inferiores a 1% de THC)
se teve algum aconselhamento juridico, se fez alguns contactos com o ministerio da agricultura, se teve acesso a legislação, etc, etc

todas as informaçoes que tive acesso à uns anos era que era preciso uma autorizaçao do ministerio da agricultura e mesmo assim não era suficiente, tanto que ouve um caso relatado nos meios de comunicação na altura sobre um agricultor que apesar de ter a autorização do ministerio, de ter as sementes certificadas legalmente pela CEE, e de receber fundos da mesma para o cultivo, ter os documentos todos em ordem, a GNR apreendeu tudo e ainda teve que ir a tribunal.

fico a aguardar novidades sobre este assunto.

josé

p.s. queria tb informa-lo que a cannabis não é um repelente de pragas, mas sim o contrario, e todos os testes que fiz provaram o mesmo.

Mario disse...

olá David,
li parte do blog e folgo em saber que o interesse sobre o potencial do cânhamo vai crescendo. parabéns pelo bom trabalho. no entanto, num cenário menos institucional e industrial, que chances terá um permacultor/pequeno agricultor poder em incluir esta útil espécie nas suas (perma)culturas? e como?
o que me levou a escrever este comentário foi a seguinte afirmação (do blog):
"Como vês qualquer pequeno agricultor devia semear cânhamo para fins não industriais."
um abraço!
Mário

pedrosa_45 disse...

Li que a canhmo portugal se disponibiliza na ajuda do cultivo e venda do cannhamo industrial produzido. Gostaria de saber se isto é de facto verdade e como os contactar. Pretendo cultivar cerca de 15he, mas tenho necessidade de saber como escoar o produto e de ajudas no cultivo.